Logo: O Caderno de Aimé-Adrien Taunay - Histórias, descobertas e percursos
realização: Logo: IHF - Instituto Hercules Florence
apoio: Logo: Museu Paulista
Logo: O Caderno de Aimé-Adrien Taunay - Histórias, descobertas e percursos

ROTEIRO DOS CAMINHOS

Informações sobre o caminho percorrido por Aimé-Adrien Taunay

O caminho percorrido por Aimé-Adrien Taunay, entre os dias 18 de junho e 03 de julho de 1824, que ligava a capital à Morro Queimado, onde foi instalada a colônia suíça de Nova Friburgo, era muito conhecido e movimentado. Essa região era explorada desde o século XVII por intermédio do estabelecimento de pequenas e médias propriedades, dedicadas à produção de açúcar, cachaça e gêneros de abastecimento. Havia, também, exploração de madeiras (para embarcações de pequeno porte muito usadas nos rios da locais e no transporte de víveres na baía de Guanabara), pesca e criação e animais. O território era habitado por grupos indígenas, denominados Puris e Coroados, muitos dos quais aldeados e catequizados por ordens religiosas (como carmelitas e jesuítas) que detinham vastas sesmarias.

Com a vinda da Corte, em 1808, o governo de D. João estimulou a expansão das fronteiras agrícolas da capitania do Rio de Janeiro em direção ao Vale do Paraíba e à região serrana. Houve uma política deliberada de distribuição de sesmarias em áreas ocupadas pelas ordens religiosas e pelos grupos indígenas, o que resultou em confrontos armados e a incorporação de indígenas à economia como mão de obra. A implantação da colônia suíça responde em parte a essas demandas de produção de gêneros de abastecimento para a cidade do Rio de Janeiro. Com efeito, as terras de Cantagalo e Nova Friburgo eram também cobiçadas por agricultores nacionais e estrangeiros para formação de lavouras de café.

Nesse contexto, é provável que a viagem de Aimé-Adrien Taunay tenha sido financiada por negociantes e empreendedores franceses e pelo representante diplomático francês, o Conde de Gestas, estabelecido no Rio de Janeiro, desde a transladação da corte portuguesa. Tudo indica que o objetivo era aprofundar os conhecimentos sobre as propriedades agrícolas e as produções viáveis a serem implementadas por investidores franceses.

As instruções do Conde de Gestas, recebidas de Chateaubriand (ministro dos negócios estrangeiros da França à época), por ocasião das negociações sobre o tratado de reconhecimento da Independência, entre 1824 e 1825, visavam ampliar a influência da França contra as pressões da Grã-Bretanha, buscando também vantagens comerciais nas importações, especialmente de açúcar e café, já que o Brasil competia no mercado internacional com a produção francesa do Caribe.

A fazenda do Conde de Gestas na Tijuca era vizinha a da família Taunay. O local funcionava como um centro de reuniões de negociantes e artistas franceses, radicados no Rio de Janeiro, onde ocorriam jantares e recepções, frequentadas por Dom Pedro e Dona Leopoldina, além de outros políticos da Corte.

Período/Local Relato

Período:
18/06/1824 e 03/07/1824

Local:
1 1 | Casa do Conde de Gestas
Ver no mapa 22°57'24.48"S 43°16'39.71"W

"Sexta-feira, 18 de Junho de 1824. Depois de ter jantado em casa do Conde de Gestas, embarquei-me para a Praia Grande com Louis, un negro do Conde de Gestas, Martim, e duas mulas." p. 4.
"[...] desembarque enfim perto das 2 horas. Chegado em casa de C. de Gestas. Jantar [...]" p. 63.

Período:
18/06/1824 e 03/07/1825

Local:
2 2 | Praia Grande
Ver no mapa 22°53'36.00"S 43°7'27.00"W

"Pouso em Praia Grande na Estalagem." p. 4.
"Sexta-feira 3 de Jul[ho] [P]arti com as estrelas almoço na Praia grande, [em] uma venda." p. 63.

Período:
18/06/1824

Local:
3 3 | Santa Cruz [Fortaleza de]
Ver no mapa 22°56'16.72"S 43°8'4.38"W

"Avistamos vários barcos que transportavam de Santa Cruz uma cavalaria para Praia Grande [...]." p. 4.

Período:
19/06/1824

Local:
4 4 | Igreja de Santa Anna
Ver no mapa 22°52'53.06"S 43°6'32.65"W

"O sol se levantava atrás da pequena igreja de Santa Anna que se destacava na beira muito fecunda do mar em Sertão vermelho." p. 5.

Período:
19/06/1824

Local:
5 5 | Portão/Sertão Vermelho [Porto Velho]
Ver no mapa 22°50'18.56"S 43°5'24.44"W

"Portão Vermelho". p. 2.
"igreja de Santa Anna que se destacava na beira muito fecunda do mar em Sertão vermelho". p. 5.

Período:
19/06/1824 a 21/06/1824 e 02/07/1825

Local:
6 6 | Igreja de São Gonçalo
Ver no mapa 22°49'40.28"S 43°3'11.59"W

"[...] Passando em São Gonçalvo, vilarejo bastante povoado a igreja almoço em Venda Grande [...]." p.5.
"Pus-me novamente a caminho até a Venda Grande, onde parei e dormi para não chegar à noite à Praia Grande aonde eu previa que os barcos seriam impossíveis de obter." p. 60.

Período:
19/06/1824 a 21/06/1824 e 02/07/1826

Local:
7 7 | Igreja São João de [I]Taboraí
Ver no mapa 22°44'41.62"S 42°51'30.92"W

"Chegada às 3 horas em São João de Taboraí. hospedagem em uma espécie de venda mais adiante da Igreja." p. 6.
"Quinta-feira 2 de Julho travessia de algumas matas virgens mediocremente elevadas nas planícies. retomo o caminho de São João, almoço em S. João." p. 60.

Período:
19/06/1824 a 21/06/1824

Local:
8 8 | Venda de Ponte Pinheiro
Ver no mapa 22°38'32.64"S 42°51'20.69"W

"Caminho de Macucu venda de Ponte-Pinheiro. Ponte de Cacarabu coberta de telha[s]<.> longa [...]". p. 8.

Período:
19/06/1824 a 21/06/1824 e 01/07/1824

Local:
9 9 | Venda do Colégio
Ver no mapa 22°36'33.52"S 42°45'9.46"W

"nós paramos na Venda Do Colégio, situada entre a [o]la[r]ia dos irmãos Carmelistas [...]." p. 8.
"Chegada às duas horas na venda do Colégio [...]". p. 59.

Período:
19/06/1824 a 21/06/1824 e 01/07/1824

Local:
10 10 | Santa Anna
Ver no mapa 22°33'37.13"S 42°41'34.61"W

"chegada por volta de 4 horas em Santa Anna. hospedagem na Estalagem." p. 12.
"Passo na frente da igreja Santana, no momento em que a missa ia começar." p. 59.

Período:
21/06/1824 e 30/06/1824

Local:
11 11 | Engenho/Fazenda Coronel Ferreira [Francisco Ferreira da Cunha]
Ver no mapa 22°27'10.40"S 42°39'13.61"W

"Almoço na fazenda do coronel Ferreira." p. 14.
"Dormi no engenho do Coronel Ferreira [...]." p. 57.

Período:
21/06/1824 e 30/06/1824

Local:
12 12 | Registro debaixo
Ver no mapa 22°20'52.86"S 42°36'26.30"W

"Venda do Registro debaixo mantida por um Suíço." p. 16.
"[...] meio-dia a 2 horas comida e descanso na venda do Suíço do registro debaixo." p. 57.

Período:
22/06/1824

Local:
13 13 | Morro Queimado
Ver no mapa 22°19'48.70"S 42°33'14.44"W

"Terça-feira 22 de Junho. Passamos os horríveis caminhos e descem elevado pedregoso que sobem até o planalto cujo [fundo] é Morro-Queimado." p. 16.

Período:
22/06/1824

Local:
14 14 | Casa de Balman [Balmat] [Casa15]
Ver no mapa 22°16'48.34"S 42°31'56.68"W

"Chegada em casa de Ba[lm]an [...]." p. 16; "finalmente voltei para a casa de Balman para ali passar a noite." p. 55.

Período:
22/06/1824, 24/06/1824 e 29/06/1824

Local:
15 15 | Casa Régamier [Regamey/Rigamet] [Casa 93]
Ver no mapa 22°17'19.30"S 42°32'3.33"W

"Fui visitar o Sr. Régami[er] espécie de médico empírico. jantar na casa dele." p. 17.
"Voltei jantar em casa do Sr. Régamier." p. 18.
"Eu ia à casa do Sr. Régamier para voltar a pedir-lhe sementes para a Sra. Masson [...]." p. 54.

Período:
22/06/1824

Local:
16 16 | Caminho dos colonos
Ver no mapa 22°17'36.02"S 42°31'41.83"W

"eu saí em seguida para caçar ao longo do caminho dos colonos a um quarto de légua [...]." p. 17.

Período:
23/06/1824

Local:
17 17 | Casa Quebremont [Quevremont] [Casa 9]
Ver no mapa 22°16'29.53"S 42°31'59.45"W

"Quarta-feira 23 de junho. Visita ao senhor Quebremont no 2º vilarejo." p.17.

Período:
23/06/1824

Local:
17 17 | Casa Pároco Joyet [Joye] [Casa 1]
Ver no mapa 22°16'29.53"S 42°31'59.45"W

"[...] Fui na casa do pároco Sr. Joyet que estava em sua fazenda [...]."p. 17.

Período:
23/06/1824

Local:
17 17 | Casa Bazel [Baset] [Casa 2]
Ver no mapa 22°16'29.53"S 42°31'59.45"W

"[...] e em casa do médico Sr. Bazel que tinha ido ao Rio de Janeiro." p. 17.

Período:
24/06/1824

Local:
14 14 | Casa Lapeyre [Lápeìre] [Casa 3]
Ver no mapa 22°16'48.34"S 42°31'56.68"W

"Fui em seguida à casa de Lapeyre." p. 17.

Período:
24/06/1824

Local:
14 14 | Casa Tarin [Tardin] [Casa 16]
Ver no mapa 22°16'48.34"S 42°31'56.68"W

"Deixando-o fui à casa do Sr.T[ar]in a meia légua do sítio." p. 18.

Período:
24/06/1824

Local:
15 15 | Casa pastor alemão [reverendo Sauerbronn] [Casa 91]
Ver no mapa 22°17'19.30"S 42°32'3.33"W

"[...] pastor Alemão, [...], ele me levou à casa dele à noite." p. 18.

Período:
25/06/1824 e 27/06/1824 a 29/06/1824

Local:
18 18 | Macaé
Ver no mapa 22°19'36.21"S 42°19'21.51"W

"Sexta-feira 2[5] junho. Partida para Macaé pelo caminho dos colonos." p. 19.
"Morro […] Cantos Macaé [...]." p. 39.
" Em Macaé café pouco bonito grande e branco úmido [...]." p. 42.

Período:
25/06/1824

Local:
19 19 | Lote 113 [terra dos Bröder]
Ver no mapa 22°17'53.15"S 42°21'1.32"W

"Inicialmente perdido, ao voltar atrás encontrei um Alemão antigo colono, que segui, e sem o qual ele me deixou no 113o número no lote de terra dos colonos [...]." p. 20.

Período:
25/06/1824 e 29/06/1824

Local:
20 20 | Casa Matilyn [Mathelin] [Lote 72]
Ver no mapa 22°17'34.59"S 42°24'53.68"W

"Finalmente, voltando à planície descoberta nós avistamos os fogos de uma casa em que entrei chamei por cima das paliçadas que a cercam ; e o Sr. Matilyn [...]." p. 20; "[...] eu levava uma jacutinga que o Sr. Leguier me dera e que eu queria deixar para o Sr. Matelin [...]." p. 22.
" Segunda-feira 29 de junho. Pus-me novamente em marcha para encontrar Louis e as mulas; após ter-me despedido do Sr. Matilin [...]." p. 53.

Período:
27/06/1824

Local:
21 21 | Casa Tribouillet [Trouillat, Troillet, Thurler ?] [Lote 14]
Ver no mapa 22°18'25.99"S 42°30'42.68"W

"Domingo, 27 de junho. fui após o almoço à casa do Sr. Tribouillet, vizinho próximo, a quem entreguei duas cartas do Sr. G. [...]." p. 21.
"voltei par a casa do Sr. Tribouillet [...]." p. 22.

Período:
27/06/1824

Local:
Casa Leguier

"[...] em casa do Sr. Légu[ie]r. o tempo estava de uma tristeza horrível [...]." p. 22.

Período:
27/06/1824 a 29/06/1824

Local:
22 22 | Deserto de Santa Luzia [Serra de]
Ver no mapa 22°23'6.07"S 42°17'43.57"W

"Deserto de Santa Luzia [...]." p. 37.

Período:
27/06/1824 a 29/06/1824

Local:
23 23 | Aldeia da Pedra
Ver no mapa 21°40'1.00"S 42°4'53.00"W

"60 léguas. missõe[s] católicas Romanas [...] aldeia Padre Thomas aldeia da Pedra." p. 38.

Período:
27/06/1824 a 29/06/1824

Local:
24 24 | Pedra do Cônego [Pedra do Imperador]
Ver no mapa 22°18'44.79"S 42°32'12.61"W

"uma cafe[...ne] [……] de Sr. Lorenzo [u] p[é] do rochedo do Cônego. [rio] Cônego B[angal] Santo Antonio [...]". p. 41.

Período:
27/06/1824 a 29/06/1824

Local:
25 25 | Cantagallo
Ver no mapa 21°58'55.00"S 42°22'5.00"W

"A [Canta] [Gallo] café cana de açúcar terra árida arável difícil a obter aragem [...]." p. 41.

Período:
27/06/1824 a 29/06/1824

Local:
26 26 | Baixo Macaé
Ver no mapa 22°25'40.93"S 42°12'24.66"W

"Baixo Macaé tout chap[..] café ao fim de 3 anos uma 1/2 libra de café." p. 42.

Período:
29/06/1824

Local:
17 17 | Casa Burnier [Casa 10]
Ver no mapa 22°16'29.53"S 42°31'59.45"W

"Quando eu cheguei na casa de Burnier." p. 53.

Período:
29/06/1824

Local:
14 14 | Casa de Bardy [Casa 22]
Ver no mapa 22°16'48.34"S 42°31'56.68"W

"Fui à casa de Bardy onde comprei sementes de Alfafa [...]." p. 55.

Período:
01/07/1824

Local:
27 27 | Fazenda alferes Constantino Barboza
Ver no mapa 22°40'31.00"S 42°46'55.00"W

"Fazenda do alf[e]res Constantino Barboza em Sepetiba [...]." p. 59.

Período:
03/07/1824

Local:
28 28 | Teijuka [Tijuca]
Ver no mapa 22°57'30.00"S 43°16'38.00"W

"Encontro com Félix à noite na cátedra de Mde Mafon [..]che na [Teijuka]." p. 64.

Período:
09/01/1825

Local:
29 29 | Morro do Livramento
Ver no mapa 22°53'54.56"S 43°11'27.91"W

"9 de janei[ro] de 1825 noite agradável pa[ssada] em um passeio (e2l) [em] solitário [..] as colinas do Liv[ra]mento ladeando l. [….] p[...] [.]odos os [...]piches de Saude (onde se enforcam os negros) de ordem, de valongo. [..] [A….erte] do Livramento [panorama] encantador. [...]." p. 31.

Período:
22/02/1825

Local:
30 30 | Convento São Bento [Mosteiro/Morro]
Ver no mapa 22°53'49.51"S 43°10'40.76"W

"22 de fevereiro de 1825. Quando eu estava atrás de [C……..] de São Bento, no sol poente, lendo a ode do Lago de Lamartine [...]." p. 92.

Imagens associadas ao percurso

Imagem Relato
Esboço de caminho ladeado por cerca, plantas  e um veículo de tração animal sendo guiado por uma pessoa em pé ao lado; ao fundo terreno elevado aparente.  Página do manuscrito de Aimé-Adrien Taunay
Acervo Museu Paulista da USP (São Paulo). ampliar Desenho associado ao caminho entre Praia Grande e São Gonçalo. Ver pontos de número 2, 4, 5 e 6. Esboço de caminho ladeado por cerca, plantas e um veículo de tração animal sendo guiado por uma pessoa em pé ao lado; ao fundo terreno elevado aparente.
"Vistas pitorescas da baía através das cercas vivas, das árvores para além de uma espécie de pastos coroados, quando se avança, pelas pontas dos [órgãos]. Casa na frente da qual se estende uma linha de bananeiras mais além uma  grande savana, e na costa uma longa linha de mata virgem." p. 5.  Página do manuscrito de Aimé-Adrien Taunay
Acervo Museu Paulista da USP (São Paulo). ampliar Desenho associado ao caminho entre Santa Anna e São Gonçalo. Ver pontos de número 4, 5 e 6. "Vistas pitorescas da baía através das cercas vivas, das árvores para além de uma espécie de pastos coroados, quando se avança, pelas pontas dos [órgãos]. Casa na frente da qual se estende uma linha de bananeiras mais além uma grande savana, e na costa uma longa linha de mata virgem." p. 5.
Esboço de paisagem ressaltando os elementos florísticos, hídricos e geológicos. Página do manuscrito de Aimé-Adrien Taunay
Acervo Museu Paulista da USP (São Paulo). ampliar Desenho associado ao caminho entre São João de Itaboraí e Ponte Pinheiro. Ver pontos de número 7 e 8. Esboço de paisagem ressaltando os elementos florísticos, hídricos e geológicos.
Esboço de construção e ao fundo relevo montanhoso.  Página do manuscrito de Aimé-Adrien Taunay
Acervo Museu Paulista da USP (São Paulo). ampliar Desenho associado a Venda do Colégio. Ver ponto de número 9. Esboço de construção e ao fundo relevo montanhoso.
"[...] Fazenda do coronel Ferreira. engenho bem estabelecido com uma boa roda d’água, e um aqueduto em madeira para trazer água. os moinhos rodavam." p. 14. Página do manuscrito de Aimé-Adrien Taunay
Acervo Museu Paulista da USP (São Paulo). ampliar Desenho associado ao Engenho do Coronel Ferreira. Ver ponto de número 11. "[...] Fazenda do coronel Ferreira. engenho bem estabelecido com uma boa roda d’água, e um aqueduto em madeira para trazer água. os moinhos rodavam." p. 14.
Esboço de perfil de relevo e composição florística com personagem montado uma mula. Página do manuscrito de Aimé-Adrien Taunay
Acervo Museu Paulista da USP (São Paulo). ampliar Desenho associado ao caminho entre o Engenho do Coronel Ferreira e o Registro Debaixo. Ver pontos de número 11 e 12. Esboço de perfil de relevo e composição florística com personagem montado uma mula.
realização:
IHF Museu Paulista
parceria:
USP IFUSP - Instituto de Física da USP NAP - FAEPH