Logo: O Caderno de Aimé-Adrien Taunay - Histórias, descobertas e percursos
realização: Logo: IHF - Instituto Hercules Florence
apoio: Logo: Museu Paulista
Logo: O Caderno de Aimé-Adrien Taunay - Histórias, descobertas e percursos

CONTEXTO

Viajar pelo mundo no século 19

Para um viajante europeu do século 19, o mundo ainda era um desafio a ser conquistado: navegar em mares distantes, desbravar terras desconhecidas, conhecer novos povos, culturas, paisagens, animais e plantas que não existiam na sua terra natal, viver aventuras e voltar com muitas histórias para contar. Viajantes enfrentavam várias dificuldades, a começar pelas embarcações, que eram pequenas, à vela e levavam meses para chegar ao seu destino (da França ao Rio de Janeiro eram necessários dois meses). Alguns viajantes acabavam por se fixar nos portos intermediários e não retomavam a viagem.

Por exemplo, a viagem de circum-navegação de Louis-Claude de Saulces de Freycinet a bordo do "Uranie", da qual participou Aimé-Adrien Taunay, durou quase três anos e incluiu um naufrágio nas Ilhas Malvinas/Falklands. Felizmente, os tripulantes, os equipamentos científicos, os espécimes e as pesquisas foram salvas. Freycinet conseguiu um segundo navio, "La Physicienne", para voltar à França (passando antes pelo Rio de Janeiro, onde desembarcou o jovem Taunay). Apesar de não ser das mais lembradas, esta viagem foi um sucesso na perspectiva científica do período.

Folha de título da Voyage autour du monde... exécuté sur les corvettes de S. M. "l'Uranie" et "la Physicienne" pendant les années 1817, 1818, 1819 et 1820, publicado por Louis de Freycinet em Paris em 1825.
realização:
IHF Museu Paulista
parceria:
USP IFUSP - Instituto de Física da USP NAP - FAEPH